Início política MDM recusa-se a receber Presidente da Guiné-Bissau na Assembleia da República

MDM recusa-se a receber Presidente da Guiné-Bissau na Assembleia da República

16
0
Publicidade
Fleetrack Moçambique, SA



O Movimento Democrático de Moçambique não vai participar na recepção do Presidente da Guiné-Bissau, esta quinta-feira, na Assembleia da República.

Publicidade
Decoração DK Eventos

Segundo Lutero Simango, Sissoco Embaló é um mau exemplo para a democracia e não deveria ser bem-vindo ao país.

Não merece! É a opinião do líder do Movimento Democrático de Moçambique, Lutero Simango, sobre a  visita do Presidente da Guiné-Bissau à Assembleia da República. O actual terceiro maior partido da oposição no país diz que não pode sentar-se à mesma mesa com um ditador que fere todos os princípios da democracia.

“Não podemos participar na recepção de um Presidente da República que impede a existência de um parlamento. Quando um país não tem um parlamento, não se pode classificar como democrático, muito menos como um partido multipartidário que defende a existência de um Estado de Direito”, declarou à imprensa o líder do Movimento Democrático de Moçambique, Lutero Simango.

Os dois maiores partidos da oposição Renamo, o MDM condena a atribuição da Chave da Cidade de Maputo ao Presidente da Guiné-Bissau, pois, segundo este movimento político, Sissoco Embaló é o espelho da má governação.


O Presidente guineense dissolveu o parlamento daquele país em Dezembro do ano passado, justificando a decisão com a grave crise institucional, na sequência de confrontos entre as forças de segurança. Sissoco via no parlamento o foco de desestabilização e considerou que, se não for tomada uma posição, o país voltaria a uma guerra civil orquestrada pelos deputados.

Publicidade
Internet de Moçambique,SA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui